Tempestade em mente humana

Toda tristeza do mundo parece se centralizar no meu peito,
Pesa uma nuvem carregada de chuva,
As vezes derrama garoa, as vezes derrama um torrencial.
É tempestade em copo d’água, em mente humana,
As vezes montanha russa, as vezes carrossel.
Fragmentado em mil pedaços,
Cada qual perdido em si,
É labirinto sem saída, a tristeza não vai sair.
Faz de mim sua moradia,
Tenta me assassinar com as minhas próprias mãos,
Suicídio bate em minha porta, e com dor eu digo “não”.
Ser forte todo dia cansa,
As nuvens derramam, é lama total,
Se eu ainda fosse criança brincaria no quintal.
O tempo é vilão e também o mocinho,
Gera confusão, se erra o caminho,
Mas ainda estou aqui,
Refém dos pensamentos, sem saber o que seguir,
Não vou a lugar nenhum,
Só em todos os lugares que minha mente pode ir.

(Deivi Costa)

amor adolescente

AMOR ADOLESCENTE
no tempo inocente
sempre tem aquele adolescente
que o amor vai encontrar
que sempre vai viver a desejar
sempre tentando alcançar
aquele amor adolescente
sonhando alto sempre
negando sempre fracassar
mas sera que um dia ela vai me beijar?
amor de adolescente
minha autoestima esta a altura do chão
tenho medo dela dizer não
eu não sei oque fazer
acho que vou enlouquecer
minha vida se baseia em confusão
eu no meu desfecho
eu apenas fiquei com um beijo
amor adolescente
cortando minha cabeça como uma foice
penso em voce toda noite
sonhando com aquele beijo
aquele foi o nosso desfecho
eu não quero lembrar mais
mas sempre que eu penso so me satisfaz

(yan victor)

Ai Flores, Ai Flores do Verde Pino

Ai flores, ai flores do verde pino,
se sabedes novas do meu amigo?
Ai Deus, e u é?
Ai flores, ai flores do verde ramo,
se sabedes novas do meu amado?
Ai Deus, e u é?
Se sabedes novas do meu amigo,
aquel que mentiu do que pôs conmigo?
Ai Deus, e u é?
Se sabedes novas do meu amado,
aquel que mentiu do que mi há jurado?
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é?
Vós me preguntades polo voss’amigo
e eu bem vos digo que é san’e vivo.
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é?
Vós me preguntades polo voss’amado
e eu bem vos digo que é viv’e sano.
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é?
E eu bem vos digo que é san’e vivo
e será vosco ant’o prazo saído.
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é?
E eu bem vos digo que é viv’e sano
e será voscant’o prazo passado.
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é?
Ai flores, ai flores do verde pino

( D. Dinis rei de Portugal )

Arte e liberdade

Só a arte

Só a arte me leva para longe
Só a arte me aproxima de mim
Só a arte me eleva
Só a arte me representa…

A minha arte diz quem sou
A minha arte transmite o mais puro amor
A minha arte traz amor
A minha arte liberta..

A minha arte..
Expressada da forma que for, é a forma de me expressar para o Mundo.

Como disse A. Schopenhauer
(Só a arte nos livra da dor.)

Adriana Oliveira

Seu jeito, seu amor

Roupas folgadas com
Mangas compridas
Que escondem sua ciência
Junto de sua essência.
Seu jeito de ser,
Jeito de viver.
Sorriso espalhando cores,
Espantando as dores.

Seus cabelos revoltos
Nos meus dedos
Que cria nosso nó.
Barrando curiosos
Que nem dá dó.

Vestes a noite
Mas irradia a manhã.
Tens coração quente
Com mente de artimanha.

Suas linhas são poesias,
Onde deixo registrado minhas rimas
Enquanto apago suas mágoas.

Olhar de calmaria
Que esconde turbulência.
Leva meu coração às alturas
Como se o desse asas.

Achei que gostava
Do garoto burguês
Mas curto mesmo é a garota periférica.

E agora no fundo do busão
Fico revendo a confusão,
Que minha vida se tornou
Quando você chegou.

Mas quando se ama uma mina feito você,
Confusão some
E serenidade prevalece.
Pois não há privilégio maior que ter o seu amor.

(Kaelane da Silva Amaral)

Belas Memórias

Tu partiste e eu fiquei,
nesta escuridão sem coração.
Tu partiste e eu tentei,
ficar bem mas não dá sem a tua mão.

Foste sem uma explicação,
e eu nunca soube das histórias.
Hoje em dia o que me resta,
são as tuas e as nossas belas memórias.

Tu partiste e eu fui contigo,
metade de mim também morreu.
Perdi um grande ombro amigo,
só sou agora quem sobreviveu.

(Eunnice N.)

Porquê

Porquê
Porque me obrigas-te a sorrir
quando me querias ver a cair
de um penhasco gelado
com pregos na superfície

Porque me obrigas-te a caminhar
sobre as nuvens brancas
se me querias ver a desabar
como um monte de neve no verão

Porque me obrigas-te a ver
o céu, as estrelas, o universo
quando me querias cegar
com um raio a cintilar

Porque me obrigas-te a viver
porque obrigas-te o meu coração a bater
quando me querias ver congelada
com um olhar fixo para a beira da estrada

(Bárbara Valpaços)

A entregar 2

Entrega amor, carinho e calor
entrega sonhos, caminhos, zelo e conselho
entrega direção, cultura, parceria e superação
entrega dignidade, erros, acertos e conquistas
entrega seus defeitos, medos e anseios
entrega compreensão, apreensão e a tristeza na partida
entrega a saudade, desilusão e o fio da esperança partido
recebe distância, esquecimento e vazio

(Wilson)