Longa jornada

Venho dos vendavais distantes,
de noites que se perdem em silêncios profundos,
de invernos sem fim e curtas primaveras,
de tapetes de neve que se estendem com um brilho
e alvura que enlouquecem…

Venho das terras que se abrem com profundos ruídos,
e das casas oscilando, oscilando, oscilando!

Venho da Cordilheira dos Andes
e dos Montes Rochosos,
atravessando vales e margeando rios
cheguei às planícies e subi aos planaltos,
para depois tomar a vastidão dos mares!

Venho das secas avassaladoras do Nordeste,
sob um sol inclemente, mas de um povo tão forte,
que na terra queimada desafia a morte,
até quando o calor e a sequidão os tangem
para bem longe, bem longe…

Trago os clamores de um povo castigado
sem saber por que, nem até quando!

Venho cansado e esquecido de tudo
e passando ao teu lado, ouvirás num sussurro:
"Eu voltei afinal, aqui estou!"

Eliezer Lemos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *