Mundo virtual…

Você!
Chega assim em meu pensamento,
num momento de tristeza,
me envolvendo em teus abraços,
braços que nunca toquei.
E nos teus olhos encontro,
o grande carinho do amigo,
que nunca vi, e encontrei…
Você!
Chega muito mais presente,
no sorriso do momento,
em que se cruzam as telinhas,
palavras, toques e abraços,
de dois que se unem distantes,
da eterna e sincera amizade do virtual,
perdido no espaço…
Você!
Talvez ainda mais real que tantos e tantos encontros,
me acompanha em solidão,
em noites e noites a sós,
no escuro de tantos quartos,
onde um só se une a tantos,
e cada um, é um de nós…
Eu, você, e o Virtual…

Eliezer Lemos

Minha inspiração

A poesia flutua em teus olhos,
como uma luz que nasce do teu ser,
que floresce nos teus lindos olhos e permanece.

A poesia se desprende de ti, são frutos da arvore que é você.

Como o vento agita as velas dos navios, e eleva os pássaros no ar;
a poesia vibra na tua voz molhada, veemente, grave e única.

Você transforma-se numa linda flor quando adormece,
a poesia envolve o teu sono, o qual nele mergulha e se aprofunda.

E como uma plantinha no sereno de uma noite enluarada,
respiras mansamente, e eis que neste momento vem a verdadeira poesia,
e cresse em tua seiva noturna.

A poesia habita teus lindos cabelos, sedosos e encaracolados,
fica aninhado nas tuas lembranças com belos sonhos,
e em tudo que te envolve e pertence.

Eliezer Lemos

CHAMA DO AMOR VERDADEIRO

Andava perdido no mundo,
Sem rumo, sem prumo, sem direção.
Ao Deus dará,
A deriva em alto mar.

Foi quando você me encontrou,
Meu destino mudou por inteiro.
Senti arder em meu peito,
A chama do amor verdadeiro.

Tem hora que nem tendo fé!
Descrente de tudo, do mundo,
Da vida, não vou negar,
Desisti de querer lutar.

Foi quando você me encontrou,
Meu destino mudou por inteiro.
Senti arder em meu peito,
A chama do amor verdadeiro.

Clareou onde não havia mais luz,
E findou a tristeza enfim se desfez.
E de vez o sorriso encontrou seu lugar,
Você me libertou com o dom de amar.

*Júnior Parente – Selma do Samba – Edmundo de Souza

O AMOR DE VERDADE

Nunca vi um amor tão grande assim,
E nem igual ao seu, meu bem.
Nunca ninguém gostou de mim
Tanto antes de você chegar.

Teus olhos brilham a me ver!
Um lindo sorriso a denunciar,
O quanto estás feliz, feliz!

E pra me agradar, você a sussurrar,
Diz frases tão lindas
No meu ouvido a brincar.

Seus beijos vêm me despertar
Um louco desejo de te devorar.
Isso é amor, amor por você,
Que me mostrou o que é felicidade.

Ao encontrar você,
Saudade se foi, voltei a viver.
Ao seu lado descobri o amor de verdade!

*Edmundo de Souza – Selma do Samba

Beijo de Quem Te Ama.

O que fazer quando te vejo.
Somente te beijar.

E por que não te beijo?
Como pude deixar os dias te esconder.
Estás ao meu lado e oculta.
Como se não existisse.
Por que?

Te peço perdão.
Pois sou um tolo.
Te peço perdão.
Por esquecer teu sabor.
E nosso sonho.

A vida é dura.
Mais duro nosso coração é.
Pois o caminho para outro-lado
É curto…
Sublime…
Por que não viver então.

Estás lendo estas palavras?
Sim?
Não?
Saiba somente que o Amor
Que encontramos.
Estás em mim.
Sempre estará.
E por isto sou grato.
Por todo o tempo que a Existência,
me acompanhar.

Beijo.

Do Tião.

O amor supera tudo

Cobre-te de bons fluídos, superando tua insanidade,
e a falta de compaixão.

Supera os remorsos, as torturas e sofrimentos.

Fazendo-te acreditar num recomeço.

Desperta em ti a esperança,
fornecendo-lhe a confiança de um mundo melhor.

Dá magia aos teus sonhos.

Faz-te voltar aos bons momentos do passado,
deixando-te reviver os grandiosos sentimentos,
e sensações que antes tiveste.

Além de superar tudo, tudo ele perdoa,
tudo ele transforma, converte o ódio em adoração,
lhe dando conforto, e uma sensação de bem estar.

Faz-te notar as belas coisas da vida,
e ensina-te a fazer proveito dos seus benefícios.

Deixa-te 'viajar' nesse mar sem fim que é a vida,
cobrindo-te de flores e orvalho.

Faz-lhe adormecer no manto da saudade,
e aquece-te com o calor do desejo.

Refletindo a ti…
"A felicidade Eterna"

Eliezer Lemos

Os teus presentes

Os teus presentes

Toco tua cor, tua pedra azul,
teu pulsar silencioso, tua música em mim,
tuas mãos semelhante ao cetim.
Toco-te meu amor, com as minhas lágrimas alegres,
que como champanhe borbulhante nascem no beijo longínquo.
Amo-te sim, assim,
nos teus presentes dourados de saudades,
nesse embrulho desenhado por ti.
Amo-te sim, assim,
nos teus poemas inclusos,
nos teus dedos que nele tocaram.
beijo-te assim,
desejando louco, alegremente louco.
Beijo-te assim, apaixonadamente louco
no intenso de ti, no incenso incendiado, no teu brilho e perfume.
Porque sou o estado inebriante em que estou, em que fiquei,
esse meu jeito em tamanho e dimensão,
esse sorriso despencando frouxo vindo de mim.

Ter-te aqui nos teus presentes,
tanto a me olhar, tanto a me gostar, tanto a me amar;
deixando-me que eu signifique em ti, o tanto, o além
dessa delirante alquimia que anula espaços,
que me traz a emoção vermelha
dessa tua boca molhada
das histórias nela guardadas
amo-te e deito-me ao lado, meu estonteantemente e todo teu,
o todo de mim.
Ah os traços do teu colo!
Teus braços num abraço liberto, tua respiração me respirando!
O mel que agora tocamos, trocamos, misturamos e bebemos.
Eu te amo!
Digo-te meu segredo baixinho:
eu te amo!
Ah! Como é imenso o meu amor!
Amo-te nesse instante, de tão vida!
Nesse poema que nunca terá fim!
Na música proveniente de mim, que ressoa em ti.
Que acorda os acordes teus, os meus e os nossos;
eternos vibrantes de paixões, que a ti me denuncio,
que me despoja das fantasias, de todos os pertences,
de todos os acumulados, esvaziando-me em direção a ti,
para que no teu interior me torne inteiro,
para que teus conchavos, que chamo de absoluto acabe com meus limites.
Para que teus sonhos me sonhe,
para que teus beijos me enriqueça plenamente.
Para que a lua e o sol se encontrem enfim num eterno eclipse;
e em nome de Deus expressem o êxtase dessa fome infinita!
Amo-te!
Amo-te!

Eliezer Lemos