Seu jeito, seu amor

Roupas folgadas com
Mangas compridas
Que escondem sua ciência
Junto de sua essência.
Seu jeito de ser,
Jeito de viver.
Sorriso espalhando cores,
Espantando as dores.

Seus cabelos revoltos
Nos meus dedos
Que cria nosso nó.
Barrando curiosos
Que nem dá dó.

Vestes a noite
Mas irradia a manhã.
Tens coração quente
Com mente de artimanha.

Suas linhas são poesias,
Onde deixo registrado minhas rimas
Enquanto apago suas mágoas.

Olhar de calmaria
Que esconde turbulência.
Leva meu coração às alturas
Como se o desse asas.

Achei que gostava
Do garoto burguês
Mas curto mesmo é a garota periférica.

E agora no fundo do busão
Fico revendo a confusão,
Que minha vida se tornou
Quando você chegou.

Mas quando se ama uma mina feito você,
Confusão some
E serenidade prevalece.
Pois não há privilégio maior que ter o seu amor.

(Kaelane da Silva Amaral)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *