VIDA DOS PAIS

Ser pai, coloca o homem no mais alto patamar da vida,
dilui a ignorância nas lágrimas da inexperiência,
dissolve o sabor da juventude,
o ar da precocidade, assusta o vulgo reprodutor,
planejado ou não, um pai divide sua vida,
uma parte de um filho subindo um degrau,
outra parte, de um homem dono de duas ou mais vidas,
o ato em si questiona a legalidade de um pai,
posso ser um pai sem comparar-me a uma linha de produção,
um verdadeiro pai, não fabrica seu filho,
trás ao mundo a continuidade de seus sentimentos,
uma árvore cuida de seu fruto,
até que ele amadureça e solta-se por força da natureza,
o calor do abraço de um pai, amolece qualquer rigidez,
seja ela, da convivência difícil do dia a dia,
seja ela, uma herança genética,
não devíamos comemorar o dia dos pais,
devíamos comemorar a VIDA DOS PAIS.

Cesar Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *