As Mãos:

As Mãos:
Aquelas mãos, que agora estão entrelaçadas
envelhecidas, sofridas, levemente desbotadas
em seu repouso final, inertes sobre o coração.
Aquelas mãos, foram ferramentas sagradas
maltratadas pelo trabalho ficaram calejadas,
plantou e colheu o alimento no sagrado chão.

Aquelas mãos, que já não podem-se expressar
mas eu posso com orgulho, sua história contar,
perante a justiça foram consciência e razão
estiveram sempre prontas à servir e a amparar
hoje podem confiantes sua bagagem depositar
e receber de Deus, o seu troféu benditas mãos.

Mãos que repousam após a missão cumprida
mãos que agora eu beijo na triste despedida,
a saudade no peito vai ficar, eu sei que vai,
vai maltratar o coração por toda minha vida
jamais serão por um só momento esquecidas
as velhas mãos do meu saudoso e querido pai.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *