Veleiro do Passado

Dentro de um veleiro no passado
Navega os meus pensamentos
Dentro de águas claras á mostrarem a nudez da lua…

Vejo teus olhos brilhando como as luzes da ribalta
Dentro de um veleiro no passado
A impaciência me incomoda pela falta sua;

Hoje me transformo em poesias para não sofrer
Sou um homem frágil que caminha sem rumo
Dentro de um veleiro no passado;

Carrego sobre as costas a mochila do passado
A bagagem do tempo que parece não pesar
Trazem a solidão e saudade que me faz chorar;

Sinto que estou naufragando
Dentro do veleiro no passado
Agora só me resta um caminho o vale da solidão;

O que mais sinto, é que, á quem tenho dado tanto amor
Hoje vive e é feliz com outro alguém
Dentro de um veleiro no passado.

Pelo autor Marcelo Henrique Zacarelli
Itaquaquecetuba, Novembro de 1992 no dia 27.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *