ÁGUAS DO RIO

Entro pelo mar
Pra mostrar meu samba,
De Rio a Rio,
Sou Ponta Negra
E Copacabana.

Quero cantar
A miscigenação,
Sudeste e nordeste,
Samba e forró do bom.

Eu vou de cá
E você vem de lá.
Meu rio de janeiro,
Hoje natal vai abraçar.

Vamos fazer juntos
Uma roda de samba,
Nos morros e nas praias,
Toda cidade canta.

Nessa interação,
Uma só voz vai ecoar
O melhor do samba,
Não tem hora pra acabar.

Sem se preocurar
Com o dia raiando,
Se até o galo já tá cantando,
É sinal que o samba não pode parar.

*Marcelo Maya – Edmundo de Souza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *