Sociedade Padrão

Desesperamos por aceitação
Numa sociedade, toda ela, coincidente,
Em que o custo da integração,
É estar preso a algo inexistente
Talvez de uma forma estética…
Ou até mesmo de mentalidade
E o preço de não seres uma pessoa cética
É pago com a tua infelicidade

Levamos uma vida que não desejamos
Por ser o que a sociedade tem em vista
Mas nem sempre aquilo com que acabamos
É sinal de uma grande conquista.

E durante aqueles últimos suspiros,
Reparas que viver “feliz” naquele clima
Foi a principal origem do vírus
Que virou o nó da gravata para cima.

(Salvador de Lótus)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *