PALAVRAS DE UM ESPÍRITO

Não te preocupes demasiadamente com as contrariedades da vida, porquanto a verdadeira felicidade não é deste mundo.

Não te preocupes com o que porventura não esteja ao teu alcance, faça tudo o que cabe a ti realizar. Empreende esforços naquilo que depende da tua dedicação e deixa o restante a cargo da divina providência.

Procure viver em paz contigo mesmo, pois logo partirás daqui e levarás contigo apenas os teus sentimentos.

O corpo é um instrumento material e passageiro.
A morte, não existe, é na verdade ressurreição para o verdadeiro plano da vida.

E são tantas as verdades que eu tenho dito e tantas mais as que eu tenho por dizer.

Mas que lástima seja o tempo que levas para querê-las ter em vosso coração.

Ao pai tenho pedido auxílio divino, para que me ampare na empreitada de fazer com que me ouças.
Mas ainda tempo há de levar, até que tu me percebas.

Oh pai criador, que me dizes destas minhas vozes onomatopaicas perdidas ao léu?
Estará minh’alma gritando em silêncio como jaz um dia o redentor da boa nova?

Mas que sei meu pai, ei de honrar-te o sacrifício e continuar a labuta do plantio, ainda que a terra não esteja por completo preparada.

Mas que também sei meu pai que, desta terra sairão flores, ainda que algum sangue tenha de ser derramado em teu nome.

Obrigado Senhor pela graça do pastoreio, eis que ovelhas antes rebeldes já se enfileiram rumo a ti.
E muitas outras, Senhor, trasviadas do teu caminho, seguirão calmamente, arrastadas pela corrente do teu amor.

E assim me contento por ver, que a lei do bem querer, de nada desiste, e que estarão todas amparadas pelo vosso braço oh pai.

Um pobre espírito amigo, que tudo tem apenas a boa vontade, de tentar fazer claro para ti, o que caro um dia me custou a ignorância.

Samir P. Salim
27/08/2013

VERSINHOS DE PARTIDEIRO

Fui a um pagode
Na casa de um partideiro,
E depois daquele dia,
Quero samba o tempo inteiro.
Eu quero samba o tempo inteiro,
Isso eu não vou negar.
É assim que me divirto,
Assim vou continuar.

Toda vez que chego em casa,
Depois de beber algumas,
A mulher me dá castigo
E me faz dormir na rua.
Ela me joga na rua,
Aquela mulher ingrata.
Passo a noite no relento,
Dormindo numa calçada.

Vou fazer um lindo verso
Pra minha mulher querida,
Que é pra ver se ela amansa
E a paz reina em nossas vidas.
Se há paz em nossa vida,
Tudo fica numa legal,
Só beijinhos e abraços,
Etcetera e tal.

Depois que começo os versos,
Confesso que não sei parar.
Depois de mulher o samba
É quem me faz delirar.
Deliro mas não é doença,
É febre, mas que não faz mal.
Depois de mulher e samba,
Pra mim somente o carnaval.

Para todos os amigos,
aqui deixo o meu abraço.
O pagode está bonito
E melhor, saibam, não acho.
Este é o Samba de partido,
Samba de verso improvisado.
Isto é samba de raiz
Como era no passado!

egoistas

Esse perfume que se espalha sobre a atmosfera
Levado pela brisa a intimidade da primavera
Dádiva que a natureza doa a todos os viventes
Águas que a nuvem derrama por todas as regiões
Fecundado a terra com a sua chuva de benções
As graças que o ser humano recebe de presente.

A luz do sol que faz o fruto ficar mais saudável
Aquecendo o planeta com seu calor interminável
O oxigênio alimento sagrado do nosso organismo
Estamos mergulhados nesse mar celeiro fecundo
Á milhares de anos somos habitantes desse mundo
Muitos vivem por aqui com acentuado pessimísmo

Não elevam o olhar para contemplar no céu à beleza
Não percebem no revérbero do crepúsculo a sutileza
Vivem focados simplesmente com os bens materiais
Eles são os egoístas que buscam o tesouro da matéria
Desfrutando do farto banquete e vivendo na miséria
Os ingratos que tem tudo e vivem como irracionais.

DESPERTA

Feliz de ti que não mais te entregas às "delícias" do mundo: tão rasas e passageiras.
Chegada é a hora de ver e ouvir além dos olhos e dos ouvidos do corpo.

Feliz de ti que cedes espaço à luz e que já empreendes esforços para venceres a ti mesmo.
Tudo precisa de ti, tudo requer tua atenção.
O outro, é também teu irmão.

Contribui, pois, de forma positiva para transformar o meio em que vives.
Não te preocupes demasiadamente com o amanhã. Viva o hoje com atenção.
Destino feliz é presente de construção.

Reclamar é perder tempo precioso que vai e não volta mais.
Agradece por tudo sempre.

Egoísmo é chaga da alma que degenera o bom senso.
Remédio, o amor.

Semeia compreensão para colher paz.
Faz do amor a tua bússola e siga para o norte da luz.
Teu cajado, Jesus.

O tempo, teu companheiro inseparável, e assim como tu, também passa.
Tua consciência, tua lanterna infalível.
A Deus, renda graças sempre.

Samir P. Salim, 22/05/13

DE SUPRESA

O navio ancora próximo à praia.
No barco a remo, vamos todos…
Estamos próximos, já sinto a areia
a raspar o casco do barco.
Na praia, descemos todos.
Um a um, vamos inspecionando
cada centímetro daquela praia.
Ao adentrar a mata à frente,
deslumbro uma linda cachoeira!
Depois de extasiadamente
observar tão linda paisagem;
desço pela margem do rio
seguindo seu curso…
Por entre a vegetação existente,
deparo com o mais lindo retrato!
Uma bela jovem
a banhar-se no leito do rio.
Como o lobo, a espreitar a presa,
observo o seu banhar.
Quando afunda, seus longos cabelos
espalham-se sobre a água
tal qual uma vitória-régia.
Quando emerge, seu rosto
em contraste com a luz do sol,
reflete nos pingos, lindos arco-íris…
Sua pele morena, bronzeada,
deixa transparecer a bela nudez
do corpo feminino.
De repente, sinto como que
um golpe na cabeça , e desfaleço.
Acordo em meio a uma multidão.
Não entendo o que falam…
Uns, dá pra notar a raiva.
Outros, dá pra notar a contemplação.
É uma vila, e eu estou no meio,
como numa praça.
Estou sendo julgado pelo meu ato falho:
"Observar a beleza às escondidas."
Quando percebo que a sentença foi dada,
olho para os lados, e vejo o motivo do meu erro,
sentada de cabeça baixa.
O carrasco se aproxima com o machado;
já sinto a cabeça saindo do corpo…
Junto dele um casal idoso,
gritando e apontando para mim.
Gritam: BRIGKEIA; BRIGKEIA…
O frio corre pela espinha,
o suor escorre pelo corpo…
De repente os amigos de navio chegam,
rindo, contentes, bem vestidos.
O capitão batendo em meu ombro diz:
– Parabéns rapaz; conseguiu, vai ser rei aqui…
somos seu padrinhos.
Aquela deusa em forma de mulher
é trazida e colocada ao meu lado.
Nossos braços são amarrados com cipó.
Depois de algumas palavras
pronunciadas pelo chefe local,
o carrasco de um só golpe,
corta o cipó……. – Estou casado!
(PEREZ SEREZEIRO)
José R.P.Monteiro – SCSul SP
serezeiro@yahoo.com.br
serezeiro@hotmail.com