NÃO PRECISO SABER… POR LEILAH FERREIRA

Não preciso saber sua idade,
Pois os traços de suas rugas pela vida sofrida ,já insistem em se apresentarem no teu rosto .

Não preciso lhe apresentar o lápis, tão pouco a caneta,
Pois suas mãos cansadas e ásperas, já revelam como foi de lutas todos os teus dias , de trabalho, enfrentados em sol escaldante, ou seu corpo encharcado pelas águas das chuvas.

Não preciso pedir para fazer cálculos matemáticos , continha, ou tão pouco medir um arado,
porque sua mente já me revela seus cálculos admiravelmente realizados mentalmente .

Não preciso, disparar contra ti , tempos verbais… Pois teus tempos contribuem para dizer que sempre esteve em terceira pessoas, quando incansavelmente ajudou a criar ,os filhos , e agora os netos.

Não preciso indicar as frações, se tu soube nessa vida partir o pão de cada dia, na medida exata pra que todos pudessem ficar saciados.

Não preciso lhe apresentar as estações climáticas, pois tu sabes bem quando a chuva cairá a molhar a terra de fartura.

Quando as flores virão por graça a decorar os ambientes,

Quando o inverno chegará para aquecer os corações.

Não preciso descrever sobre grandes heróis existem no passado, se estou frente a um desses, que na vida sofrida venceu a guerra do dia a dia e não desistiu da batalha.
Não preciso falar-lhe como nasce a vida ,se tú no finzinho dela ainda suspira seus sonhos em poder ler e escrever o próprio nome e ir mais longe,
Escrevendo talvez uma frase como esta:

“Estive aqui nesta vida… Venci obstáculos… Aprendi a ler e escrever, e fiz minha historia acontecer”.

HOMENAGEM AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *